Pesquisa no blog

domingo, 9 de dezembro de 2012

“E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas”.




Por Felipe Lara
Para falar sobre este assunto faz-se necessário conhecermos os fundamentos da palavra que é a revelação de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo e compreendermos o seu desejo para as nossas vidas em Mateus 22.29 diz assim:
 “Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus” e em Marcos 12.24: “... Porventura, não errais vós em razão de não saberdes as Escrituras nem o poder de Deus?”. Nestes versículos entendemos que o conhecimento da Escritura é fundamental para o cristão, quantos erros são cometidos pela falta de “entendimento” das Escrituras Sagradas ou pela má interpretação. Para um melhor aproveitamento vamos compreender o significado da palavra Conhecimento com base nas escrituras e em estudos.
 CONHECIMENTO
Temos como conceito de Conhecimento a seguinte definição: Conhecimento é o ato ou efeito de abstrair ideia ou noção de alguma coisa. Conhecimento é aquilo que se admite a partir da captação sensitiva sendo assim acumulável a mente humana. Ou seja, é aquilo que o homem absorve de alguma maneira, através de informações que de alguma forma lhe são apresentadas, para um determinado fim ou não. O conhecimento distingue-se da mera informação porque está associado a uma intencionalidade.  A definição clássica de conhecimento, originada em Platão, diz que ele consiste de crença verdadeira e justificada. 



Isto significa que o conhecimento é necessário porque há problemas como resultado direto da queda do homem. O conhecimento que é verdadeiro permite que os problemas sejam resolvidos e evitados.  Deus nos dá conhecimento para nos ajudar a "consertar" pessoas com problemas, proteger-nos das dificuldades da vida e permitir que o amor se expresse através de boas obras.  E o que exatamente o conhecimento permite que o amor faça?! Encontramos em Provérbios as seguintes definições:
“Através da sabedoria o Senhor deitou os fundamentos da terra, através do entendimento, estabeleceu os céus no lugar; através de seu conhecimento as profundezas foram divididas”. (Provérbios 3: 19-20ª - N.V.I.).
“Através da sabedoria uma casa é construída, e pelo entendimento é estabelecida; através do conhecimento, seus cômodos cheios com tesouros raros e bonitos.” (Provérbios 24:3-4 - N.V.I.).
AMOR SEM CONHECIMENTO?
Para exemplificar encontrei uma estória descrita por Sandy Gregory que é um orador público cujo provocativo de ideias têm influenciado as práticas empresariais em todo o mundo.  Ele é Mestre em Comunicação e foi designado Scholar (Homem culto, literato; sábio; acadêmico; estudioso) um presidente para o seu desempenho acadêmico. 
A estória contada por Sandy Gregory da mãe ignorante, mas amorosa: Ela alimenta seus filhos com uma dieta baseada em carne, porque ela acredita que carne é o melhor tipo de alimento. Um dia ela recebe conhecimentos importantes, depois de ler um guia de nutrição, ela começa a comprar uma mistura de todos os tipos de comida para seus filhos. Como resultado, seus filhos se tornam mais saudáveis. Pergunta: Esta mãe amava mais seus filhos antes ou depois que ela recebeu esse conhecimento? Hummm.... Da mesma forma! Contudo, até o conhecimento, seu amor era infrutífero, até mesmo contra produtivo. Conhecimento que é verdadeiro permite que o amor desabroche em bons frutos.
E O QUE A BÍBLIA DIZ A RESPEITO?
“Não é bom ter zelo sem conhecimento, nem ser apressado e perder o caminho”. (Provérbios 19:2 N.V.I.) “Pois posso testificar que eles são zelosos por Deus, mas seu zelo não é baseado no conhecimento”. (Romanos 10:2 N.V.I.) Portanto devemos examinar as Escrituras Sagradas e pedirmos a Deus que nos seja revelada a sua palavra afim de não sermos deliberadamente ignorantes que exaustivamente evitam a verdade.
 Eles me chamarão, mas eu não os responderei; procurarão por mim, mas não me acharão. Uma vez que odiaram o conhecimento e não escolheram o temor do Senhor, uma vez que eles não aceitaram o meu conselho e ignoraram a minha repreensão, comerão do fruto de seus caminhos e serão cheios com o fruto de seus próprios conselhos. Pois o capricho dos tolos irá matá-los, e a complacência dos loucos destrui-los; mas quem quer que me escutar viverá em segurança e estará em paz, sem medo de dano."(Provérbios. 1:28-33 N.V.I.).
 Não é a toa que encontramos na bíblia a seguinte afirmação “Meu povo é destruído por falta de conhecimento”. (Oséias 4:6 N.V.I.),  portanto entendemos que temer ao Senhor nosso Deus é também conhece-lo de forma que não venhamos a acreditar em palavras ou atitudes não bíblicas. Se realmente buscarmos a presença do Senhor e nos entregarmos a Ele de todo o nosso coração e de todo o nosso entendimento seremos capazes de discernir o que esta ao nosso redor, pois foi o próprio Jesus que disse: E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. (João 8.32 N.V.I)" Sabemos que o ser humano por sua natureza pecaminosa possui uma mente passiva, ou seja, geralmente absorve tudo que lhe e imposto sem muitas analises e verificações da suposta verdade. Entre os cristãos são fácil de observar, quantas vezes vemos pregadores, ministros de louvor, pastores, obreiros, missionários, professores em cima dos púlpitos falando da Escritura Sagrada sem o mínimo de preparação. Muitas vezes são levados pelo impulso e acabam pregando ou dizendo inverdades sobre a palavra de Deus. Devido à mente passiva, “mastiga-se e engole-se” tudo, sem o mínimo de cuidado de analisar a autenticidade da palavra. Muitas vezes a inverdade dita acaba sendo semeada nos corações. Por isso, não sejais tolos, mas entenda qual é a vontade do Senhor. (Efésios 5:17 – N.V.I.).
Minha oração é que seu amor por cada um possa aumentar mais e mais e nunca deixar de melhorar seu conhecimento e aprofundar sua percepção para que vocês possam sempre reconhecer o que é melhor. Isto os ajudará a se tornarem puros e sem culpa e a prepará-los para o Dia de Cristo. (Filipenses 1:9-10).

A IMPORTANCIA DA ORGANIZAÇÃO DAS REUNIÕES.
Agora que fomos libertos pela verdade revelada através da palavra e entendemos o significado do conhecimento e o que a bíblia diz a respeito podemos seguir para o nosso objetivo onde em 1 Coríntios 14.32 diz: “E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas”. Em outra versão: “Os espíritos dos profetas estão sujeitos aos próprios profetas”. Muitos cristãos, principalmente aqueles ligados aos movimentos pentecostais, por não terem discernimento acabam interpretando mal 1 Coríntios 14:32 e causam muito dano a si mesmos e aos irmãos. Sabemos que 1 Coríntios 14 fala claramente das instruções dadas à assembleia quando reunida para o ministério da Palavra. Vejamos o trecho a seguir  "E falem dois ou três profetas, e os outros julguem. Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro. Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam, e todos sejam consolados. E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas. Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz" (1 Co 14:29-33).A primeira coisa que percebemos neste texto é que não existe um só homem ministrando, mas o Espírito Santo pode usar aqueles que Ele desejar, claro que  obviamente isso não significa confusão ou liberar geral para qualquer um falar o que lhe vier à cabeça. Por isso "falem dois ou três profetas, e os outros julguem". Mas o que isto quer dizer?
O apostolo Paulo deixa claro que aquele que fala tem que estar ciente de que deve falar segundo a Palavra de Deus, porque seus irmãos estarão julgando o que ele fala. Se ele disser alguma coisa sem fundamento bíblico, os irmãos podem muito bem interrompê-lo ou corrigi-lo. Evidentemente isso com espírito de amor e também levando em conta a gravidade do que foi dito. Pequenos deslizes não recebem o mesmo tratamento de grandes heresias. Amados, devemos compreender um grande fato que sempre passa despercebido por muitos que leem esta palavra, naquela época eles ainda não tinham as escrituras do Novo Testamento, portanto ainda dependiam de revelações novas que podiam ser trazidas pelo Espírito a qualquer momento, segundo a necessidade dos santos. Estes casos tinham prioridade.  Porém hoje eu desconfiaria de alguém que quiser interromper uma reunião dizendo que acaba de receber uma revelação do Espírito Santo por termos já todo o pensamento de Deus revelado a nós em Sua Palavra. Além disso, quando alguém diz estar trazendo uma revelação vinda diretamente de Deus, está também querendo bloquear o julgamento do que vai dizer, pois quem ousaria julgar o que o próprio Deus está revelando? Este tipo de artifício é muito usado hoje por pretensos profetas para serem ouvidos sem contestação.
Vamos entender um pouco mais "Profetizar" aqui tem o sentido de "proferir", ou seja, falar da parte de Deus, que é o que fazemos quando trazemos algo presente em Sua Palavra. Daí é muito importante que aqueles que ministram estudem, conheçam e se apeguem à Palavra, para evitar desvios.  Veja também que existe uma ordem, "uns depois dos outros". Não é uma gritaria generalizada, e os que profetizam devem ser ouvidos com atenção. Uma vez um irmão me contou de uma pregação que viu numa denominação pentecostal onde o pregador falava da mulher Cananeia que disse a Jesus que até os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa de seus donos. A coisa foi mais ou menos assim:
Pregador: “Só quem era cachorro da Gloria Deus...”.
Público gritando: "Aleluia! Glória a Deus"! amados, onde esta a sabedoria e o discernimento aqui?!
 Veja agora ao versículo de nosso tema central, onde muitos se questionam da seguinte forma: Que espíritos são esses de "os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas"? Bom amados obviamente que não é o Espírito Santo e nem são espíritos de pessoas que morreram, mas o próprio espírito daquele que fala. Sabemos que somos formados por corpo, alma e espírito. O espírito é o que nos diferencia dos outros seres vivos, que têm corpo e alma. É por meio de nosso espírito que temos comunhão com Deus. Veja aqui que é com nosso espírito que o Espírito Santo se comunica:
"O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus". (Romanos 8:16). O que o apóstolo Paulo está dizendo em 1 Coríntios 14 é que o espírito do profeta que traz uma mensagem da Palavra de Deus está sujeito ao próprio profeta, ou seja, ele tem total domínio sobre seu ato de falar. Agora ninguém pode alegar que estava fora de si enquanto ministrava, porque não é este o modo como Deus manda que ministremos. Agora alguém que entre em um transe e fique fora de controle enquanto fala não está fazendo aquilo que Deus ordena aqui. E o mesmo vale para aqueles movimentos de cair no Espírito e ou ser tomado no Espírito, rolar no chão, rodopiar, sacudir-se, gritar com voz gutural, imitar animais, caminhar de joelhos como se fosse um cão ou um leão, rir e dar gargalhadas incontroláveis...
Essas coisas podem caber numa religião pagã, mas não tem nada tem a ver com o Espírito Santo de Deus. Lembre-se de que "os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas". Quando congregado, um cristão não pode alegar que fez algo "fora de si", "em transe" ou "tomado" por alguma força exterior ou interior. Sabe por que amados o nosso culto a Deus é racional, nosso espírito está sujeito a nós mesmos e temos total controle do que estamos fazendo ou falando. O profetizar, em seu sentido bíblico, não tem nada a ver com o que se vê por aí nos centros espíritas, com pessoas sendo incorporadas por espíritos sobre os quais as próprias pessoas não têm controle, como se estivessem possuídas. O ministério cristão é feito de forma consciente. No mesmo capítulo Paulo diz:
Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento. (1Co 14:15) Não existe lugar nas reuniões dos santos para manifestações histéricas e descontroladas. Até mesmo quando o apóstolo dava instruções sobre o falar em línguas (que ele até desestimulava por não ser tão proveitoso quanto à profecia ou ministério da Palavra), ele deixava claro que devia existir uma ordem:
1Co 14:27-28, 33-34 "E, se alguém falar em língua desconhecida, faça-se isso por dois, ou quando muito três, e por sua vez, e haja intérprete. Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus... como em todas as igrejas dos santos, as vossas mulheres estejam caladas nas igrejas; porque não lhes é permitido falar".  Veja a ordem: dois ou QUANDO MUITO, três, um de cada vez, necessariamente com a presença de intérprete e as mulheres deveriam ficar caladas. Infelizmente o que se vê principalmente nos grupos pentecostais são, não dois ou três, mas vinte ou trinta gritando uma língua desconhecida e sem intérprete. E como ter intérprete se todos falam juntos ao invés de "um de cada vez" como manda a Palavra? Além disso, é notório que aqueles que mais fala são aquelas que deveriam permanecer caladas (não sou eu quem diz isto, é a Palavra de Deus). E não raro as pessoas encontram-se em um estado tal de histeria que não têm controle sobre si mesmo ou sobre o próprio espírito. Certamente isso não vem de Deus. 
O que endurece o coração do é saber sobre uma verdade e não praticar. Ignorar a voz do Senhor traz o endurecimento do coração e a perdição eterna. O homem sabe e não quer aceitar.
PENTECONSTE – O CUMPRIMENTO DA PROMESSA
Para finalizar o estudo vamos entender o que a bíblia diz sobre o dia de Pentecoste.
O Pentecoste era para os judeus uma festa de grande alegria, pois era a festa das colheitas. Ação de graças pela colheita de trigo. Vinha gente de toda a parte: Judeus saudosos que voltavam a Jerusalém  trazendo também pagãos amigos e prosélitos. Eram oferecidas as primícias das colheitas no templo. Era também chamada festa das setes semanas por ser celebrada sete semanas depois da pascoa, no quinquagésimo dia. Daí o nome Pentecoste, que significa “quinquagésimo”. (Levitico 23: 15 – 21 ; Deuteronômio 16: 9 – 11). No primeiro Pentecoste, depois da morte de Jesus, cinquenta dias depois da sua ressurreição  o Espirito Santo desceu sobre os discípulos mais ou menos 120 (Atos 1: 15) que estavam reunidos em Jerusalém  na forma de línguas de fogo, todos ficaram cheios do Espirito Santo e começaram a falar em outras línguas: “E, cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem”. (Atos 2:1-4) As primícias da colheita aconteceram naquele dia, pois foram muitos os que se converteram quase 3 mil pessoas e isto era 9 horas da manha. 
DOIS EVENTOS ACONTECERAM
O Vento:  Deus estava soprando, da mesma forma que Jesus soprou em seus discípulos “Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós”. E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo (João 20:21-22). O Espirito de Deus soprou agora sobre a igreja, Ele se colocou ao lado para soprar poder, para trazer uma nova ordem e transformar aqueles galileus em um exército de Cristo (Atos 2.2).
 O Fogo: As línguas de fogo lembravam surpreendentemente a consagração do primeiro templo (Quando Salomão terminou a oração, desceu fogo do céu e queimou completamente o animal oferecido em sacrifício e os outros sacrifícios que tinham sido oferecidos; e a glória do SENHOR Deus encheu o Templo. E, por causa dessa luz, os sacerdotes não puderam entrar no Templo. Ao verem o fogo descer e a glória do SENHOR encher o Templo, todos os israelitas que estavam ali no pátio se ajoelharam e encostaram o rosto no chão. Eles adoraram a Deus e o louvaram, dizendo: “Louvem a Deus, o SENHOR, porque ele é bom, e porque o seu amor dura para sempre.”) (2 Crônicas 7: 1-3).  E naquela época o fogo de Deus desceu e mostrou que Deus viera habitar numa casa terrena. Foi isto que aconteceu em Pentecoste, o Espirito veio com o poder e a presença do Espirito de Deus “Então todos viram umas coisas parecidas com chamas, que se espalharam como línguas de fogo; e cada pessoa foi tocada por uma dessas línguas” – (Atos 2.3).
Deus havia guiado o povo de Israel no deserto na forma de uma coluna de fogo. Jesus havia prometido que guiaria os discípulos. Desta forma o Espirito Santo veio como fogo para guiar a igreja, e como resultado aqueles discípulos foram cheios do Espirito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espirito Santo lhes concedia que falassem. E então Pedro se levantou dentre eles e explicou a multidão o que havia acontecido era o cumprimento da profecia de Joel. Deus havia derramado Seu Espirito Santo sobre eles – Atos 2.14-36.
Irmãos esta claro que após a igreja ser cheia do Espirito Santo o resultado foi à salvação de muitos, esta sim é a verdadeira unção do Espírito Santo onde todos nós temos por direito, e é através dEle e somente por Ele que podemos anunciar a palavra e profetizar, sim proferir a mensagem de Deus aos povos que Jesus é o Senhor e que não a outro igual a Ele. Note que ao ser cheio do Espirito Santo eles falavam em outras línguas, e os povos entendiam o que eles diziam e pela palavra veio à salvação.  Ironicamente isto não ocorre nos dias de hoje, o que vemos são pessoas falando e ou gritando uma língua desconhecida sem nenhuma interrupção ou interprete. E depois de terminado a reunião todos vão para suas casas aguardando a próxima reunião e aquele que nunca viu ou frequentou uma igreja pentecostal fica sem entender esta movimentação e por um descaso não recebe a salvação. Que Deus nos capacite a cada dia para o entendimento da palavra e que ao estarmos prontos rios de Bênçãos fluam de nossas bocas através da palavra. E deixo um alerta de Jesus. - Escutem! Eu estou mandando vocês como ovelhas para o meio de lobos. Sejam espertos como as cobras e sem maldade como as pombas. Tenham cuidado, pois vocês serão presos, e levados ao tribunal, e serão chicoteados nas sinagogas. Por serem meus seguidores, vocês serão levados aos governadores e reis para serem julgados e falarão a eles e aos não judeus sobre o evangelho. Quando levarem vocês para serem julgados, não fiquem preocupados com o que deverão dizer ou como irão falar. Quando chegar o momento, Deus dará a vocês o que devem falar.  Porque as palavras que disserem não serão de vocês mesmos, mas virão do Espírito do Pai de vocês, que fala por meio de vocês. (Mateus 10: 16-20).

felipe.lara@hotmail.com.br

4 comentários:

  1. Parabéns, Felipe!

    É exatamente desse tipo de exposição que o reverendo Hernandes Dias Lopes fala nesse vídeo:->

    http://ipbvilacampestre.com.br/hernandes-dias-lopes-a-importancia-da-pregacao-expositiva-para-crescimento-saudavel-da-igreja/

    Que o Senhor Jesus te abençoe!

    Geraldo Filho.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto Felipe.
    Que Deus levante mais expositores de Sua Palavra, assim como você!

    Grande abraço e que Deus continue abençoando a sua vida, sempre!

    Jairo Novais

    ResponderExcluir
  3. Amém!!! Deus seja louvado e engrandecido!
    Muito edificante o estudo aplicado pelo o irmão Felipe Lara.
    Que Deus o abençoe grandemente!

    ResponderExcluir
  4. Parabêns..maninho que você continue sempre na palavra de Deus, que seja abençoado grandemente em sua vida, porque Deus tem grande proposito em sua vida e que seje sempre amigo que vc é, humilde, sincero e companheiro...tamo junto hoje e sempre Deus Te Abençoe

    ResponderExcluir